#dica 3 Comunicação Empática - a arte de jogar o Grok nas empresas

November 10, 2018

Dicas de quem pratica o Grok tendo como referencia a Comunicação Empática (5 passos)  ;-)

 

1) - Nem todo jogo é apenas uma brincadeira

 

Quando falamos de jogo, automaticamente vem a ideia de brincadeira e diversão. Com o GROK é possível criar aprendizados e conversas de forma leve, engajante, profunda e ... divertida.

 

Durante o jogo os participantes podem trazer exemplos e histórias sensíveis e reais. Ao cultivar um ambiente de respeito, compreensão e acolhimento, estamos cuidando de criar uma experiência prazerosa e satisfatória para todo o grupo.

 

Vale lembrar que: levar as coisas na brincadeira é uma forma de mascarar a dificuldade em lidar com determinada situação. Se isso estiver acontecendo em algum momento, talvez esse seja um ótimo gancho para uma conversa pós-jogo.

 

2) - O ritmo do jogo

 

Durante o jogo pode surgir ansiedade de querer ganhar e/ou sempre acertar. Nesses momentos, existe um risco de deixar de lado a escuta empatica para se tornar apenas uma brincadeira.

 

O GROK é um convite para sairmos da zona de conforto e aprendermos outras formas de fazer. Para todas as formas de jogar, exercite a calma. Cuide para que cada pessoa tenha tempo para falar e absorver o que é dito. Exercite a pausa e a escuta entre cada colocação.

 

3) - Reações habituais

 

Habitualmente estamos condicionados a dar conselhos, interrogar, educar, convencer, insistir, consolar, minimizar a dor ou contar nossa própria história enquanto outra pessoa compartilha a sua. O GROK pode se tornar um exercício de conscientemente praticar uma escuta empaticamente ativa ao invés de seguir com os hábitos citados.

 

Possamos escolher uma pessoa do grupo para ser guardiã do processo e esta ficar atenta aos condicionamentos. Convidar o grupo todo para ser guardião também é uma boa opção.

 

4) - Palpites empáticos

 

Fazer palpites empáticos é um aspecto da escuta ativa, que consiste em sugerirmos para uma pessoa um sentimento e/ou necessidade que imaginamos estar presente para ela. A intenção do palpite vai para além do acertar ou errar. Temos o interesse verdadeiro de conhecer e apoiar a investigação de seu mundo interno.

 

Quando jogamos o GROK, usamos as cartas de sentimentos e/ou necessidades para fazer os palpites empáticos, colocando uma carta na frente do jogador e palpitando em forma de pergunta.

Importante lembrar que apenas o contador da sua história sabe realmente o que está sentindo e precisando, portanto evitamos trazer os palpites em forma de afirmação.

 

Exemplos de como fazer um palpite empático:

 

Sentimentos

 

Você se sente ___?

Me parece que você está se sentindo _, está certo?

Estou me perguntando se você se sente __, é isso?

Imagino que você está se sentindo __, está certo?

 

Necessidades

 

Você precisa de ___?

Você tinha expectativa de se sentir __?

__ é importante para você?

Você estava desejando __?

Imagino que você teria gostado de ___, está certo?

Você estava querendo ter sua necessidade de __ satisfeita?

Será que você está precisando (ou valorizando, ou querendo) __?

Gostaria de saber se __ é algo que você busca.

Acho que você tinha necessidade de __, está certo?

Você estava procurando __?

 

5) - Adicionando “auto” na frente das palavras de necessidades.

 

A palavra “auto” pode ser adicionada na frente de muitas das palavras de necessidades para acrescentar uma mudança de significado e referência específica, tais como: autorrespeito, autocuidado, autoapreciação.

 

Importante lembrar que a metodologia da Comunicação Empática (5 passos) leva em conta a capacidade analítica que possibilita uma troca empática, afetiva que desenvolve nossa capacidade de ação, ao contrário de uma simples reação ao sentimento identificado. 

 

Deixe sua sugestão nos comentários. Vou gostar de saber como Vc tem jogando o Grok.

Please reload

Featured Posts

Um tesouro a nossa disposição

August 2, 2016

1/2
Please reload

Recent Posts

September 5, 2019

Please reload

Archive